pelos arranhões do poente e da quadra
pela tarde estendida de agora
pelo céu mar de outras horas
pelos galhos abraçados ao ninho
pelo hoje
pelo ontem
pelos sentimentos
pela saudade
pelo que não se despede
p a s s a m o s.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O barro de que somos feitos.

chovia em alguma parte...